quarta-feira, dezembro 20, 2006

WESLIA FIGUEREDO RIBEIRO

Partindo do pressuposto de que o ser humano já nasce com uma formação que vai se aprimorando com o passar dos anos que e o que nos afirma Piaget com suas teorias de etapa da evolução da aprendizagem do ser humano numa visão construtivista de que se compreende a origem do conhecimento na interação do sujeito com objeto. Partindo daí e que se estabelecem as relações do meio com o indivíduo o qual passa pôr vários processos de elaboração do conhecimento com: acomodação, que e o momento quando se recebe a informação, assimilação, em que a comparação com algo já conhecido pelo indivíduo e finalmente o equilíbrio, ou seja, o momento que esta guina. Sem falar que todos estão inter Relacionados no processo que um depende do outro.
Contrapondo esta idéia encontramos o Positivismo de Augusto Comte o qual afirma que só se pode aprender com os nossos sentidos e só isto e tido como verdadeiro. Já os empiristas acreditam que o aluno só aprende se professor ensinar e o velho mito do método de transferência de conhecimentos do professor para o aluno que e tido como ignorante. Como uma proposta de melhoria destas teorias tem o interacionimo de Vygotsky que concorda em ponto com construtivismo quando afirma que a origem do conhecimento e a parti da interação do aprendiz com o meio em que vive. O ser humano aprende de maneiras diversificadas que são expostas em varias teorias tentando explica-la.
Quando Vygotsky coloca como ponto intermediário da apredisangem, ou seja, é a parte que não aprendeu ainda, pois o processo é continuo e interativo. O que diferencia um pouco as duas correntes filosóficas é o fato de que o interacionismo busca o trabalho em grupo no qual o coletivo ajuda o individual através das discussões, conflitos, complementações esta se gerando conhecimento a todo o momento para ambos.
Porque na verdade nos vivemos na sociedade e ela é um grupo no qual somos participantes ativos e precisamos estar preparados para as discussões levantadas dando pontos de vista tato favoráveis ou contrários e assim aprendendo cada vez mais.
Para o interacionismo o sujeito não é passivo, mas sim ativo, movimentado , articulando, ajudando, combatendo,criticando e produzindo conhecimento o tempo inteiro.

FREIRE, Paulo. Educação e Mudança. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1985.
DOURADO, Emanuela O. C. Ampliando o Olhar - as dinâmicas as teorias do conhecimento. In: ­­­­­­­­­­–––––. As dinâmicas de grupo e formação dos professores. Monografia apresentada a UNEB, 2004. (não publicada). P- 35 - 44

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home