quinta-feira, dezembro 21, 2006

Tereza nunes de oliveira


Como o ser humano aprende


Todos os seres humanos aprendem por assimilação, do mais velho ao mais novo, apesar do desenvolvimento ser diferente de acordo com a idade. Não nos apropriamos do conhecimento de uma vez só. Para Piaget, primeiro vem o desenvolvimento cognitivo para depois vir a aprendizagem. De acordo com o mesmo, os seres humanos passam por estágios durante sua vida, pois uma criança que tem até dois anos de idade, precisa pegar nas coisas para usar os sentidos e produzir o conhecimento, enquanto que uma criança que já está no segundo estágio, precisa de um símbolo para representar as idéias e é nesse estágio que ela se apropria da linguagem para se comunicar e resolver seus problemas. O conhecimento vai se desenvolvendo de acordo com o ambiente. A criança se integra no mundo da simbologia que faz parte da cultura que o ser humano vai construindo. É nessa fase que a criança internaliza o conhecimento da língua materna ( isso na visão de Vygotsky), mas para Piaget,a criança só internaliza a língua materna e se apropria da simbologia quando já está com quatro ou cinco anos e nessa fase ela demonstra um certo egocentrismo e também fala sozinha. Só quando está entre cinco e sete anos é que ela faz o casamento da língua com o pensamento, já pensa apoiada nas palavras, apesar de ainda não conseguir elaborar todos os pensamentos. Vygotsky acredita que além desse casamento, a criança ainda cola também os valores.
Dos onze aos doze anos, o grande salto é a capacidade de elaborar os pensamentos que na fase anterior ainda não conseguiam. Esse estágio é colocado como a fase do pensamento cientifico, onde a criança já consegue destrinchar os pensamentos, pois o ser humano não é um copiador e sim um criador, e assim chega à fase adulta, pois o homem é uma evolução de anos e anos.
Whitehead acreditava que “a mente é um organismo em crescimento e que o caminho para a sabedoria é pela liberdade na presença do conhecimento” e a produção desse conhecimento é que altera uma sociedade, pois se analisarmos as comunidades primitivas perceberemos que a civilização é que provoca a desorganização da vida, pois o padrão existe na teia da vida mas não é essência, porque a essência é a estrutura e se essa for desmontada, o padrão deixa de existir.
Na visão pós-moderna, as partes são maiores que o todo, e nessa visão que é sistêmica,traz a questão de simbiose como substituta da competitividade mas não exclui. Já a autopoiese dá a idéia de luta dos seres para a integração onde todos têm a sua importância, mas que todos precisam melhorar cada vez mais para que essa importância continue fazendo o seu papel no universo criando e autocriando.
Piaget também traz explicações através da biologia, quando ele argumenta que as mudanças ocorrem através da evolução, à medida que os organismos se auto ajustam eles se adaptam ao meio e o ambiente vai se modificando e assim, o homem também se adapta ao seu mundo através do desequilíbrio/equilíbrio.


Referencias Bibliográficas.

CAMPOS, S.M.D. Psicologia da Aprendizagem. 24° ed. Rio de Janeiro. editora Vozes. Petrópolis 1996.

PIAGET, Jeam A. A equilibração das estruturas cognitivas. Rio de Janeiro. Zahar, 1975.

VYGOTSKY, L.S. A formação social da mente. São Paulo, Martins Fontes 1991.


0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home