quarta-feira, dezembro 27, 2006

Lúcia Mirte Rodrigues de Almeida Lima

Como o ser humano aprende?

O ser humano é um eterno aprendiz, desde seu nascimento até a sua morte, ele não se torna completo, está sempre em construção. Ele passa por diversas fases e experiências na vida que somam ao seu aprendizado, quer sejam vividas ou imaginadas. Tais conhecimentos são adquiridos das mais diversas formas, seja experimentando, observando, questionando, visualizando, ouvindo, vivenciando ou imitando, todas ao mesmo tempo, pois, o aprendizado ocorre de forma pluralizada, ou seja, sob várias perspectivas filosóficas e sociais.
Especialmente, o ser humano caracteriza-se por ser um ser social, a maior parte de seu aprendizado não acontece num ambiente formal, adquire-se conhecimento, portanto, da convivência com outros e tudo ao seu redor.
Partindo do pressuposto metafórico de que a mente é como a “Caixa Preta” do corpo humano onde são armazenadas as mais relevantes informações para sua vida, podemos imaginar sob a perspectiva de que todo conhecimento provém da experimentação, da comprovação e do sentido e, portanto, que o ser humano aprende armazenando informações adquiridas ao longo da vida, ou seja, ele nasce vazio e vai sendo moldado à medida que passa pelas etapas desse processo.
De observador que estabelece relações entre imagens que ele constrói do mundo e da própria realidade, o homem é aquele que vive as experiências de um mundo de limitações, toma conhecimento delas e constrói conhecimentos que nada mais são do que correlações entre essas experiências.
Racionalmente falando, todo conhecimento humano “germina” num dado momento de sua vida, teoricamente ele já nasce com o homem, pré-determina sua trajetória sendo despertadas habilidades e competências pré-definidas, desenvolve certo grau de conhecimento sobre determinadas coisas a partir do estímulo à sua “fonte de conhecimentos”; a criança é incentivada a desenvolver seu “espírito” cognitivo, o aprender a aprender. Nesta perspectiva, o professor é um mero facilitador e mediador do conhecimento, ele permite que o aluno aprenda livremente, apenas acompanha seu desenvolvimento e estimula sua criticidade no sentido de promover mudanças.
Por outro lado, sob a perspectiva construtivista, o conhecimento não tem o objetivo de descrever uma realidade objetiva, ou seja, como ela seria em si mesma, mas, dar sentido às experiências que o homem realiza num mundo de limitações que chamamos de realidade. Aprendemos quando somos capazes de elaborar uma representação pessoal sobre um objeto da realidade ou conteúdo que pretendemos aprender.
Em suma, o ser humano aprende em todos os lugares, em todos os momentos de sua vida e sob todas as perspectivas conhecidas, não podemos afirmar, confirmar ou negar nenhuma teoria estudada e/ou aplicada, o processo de aprendizagem será infinitamente pesquisado na tentativa de se encontrar respostas que possam nortear nosso conhecimento acerca de como funciona a mente humana, como e quando se dá o aprendizado?



0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home