quinta-feira, dezembro 21, 2006

jose carlos

No paradigma conexionista, o individuo através de sua axperiência em leitura ira reforcar determinadas sinapses neuronais. O aprendizado assim, ocore quando a pessoa tem a sua disposiçao um material signigicativo e dessa forma quanto mais avança em escolaridade elabora-se o crescimento dentritrico em determinadas áreas do córtex cerebral.
A leitura como exemplo de aprendizagem passa a ser descrita como um prescesso ativo que migra do nivel de letras, palavras e frases que são apresentadas em serie para o pensamento. Sendo o maior objetivo da leitura a sua compreensao, onde leva-se em conta a natureza da linguagem e as várias caracteristicas de operação d cerebro humano.
Constituida de um sistema de signos, a linguagem é mediadora entre os individuos seja oralmente, por gestos ou pela escrita. Na mensagem escrita, portadora de um sentido a palavra é utilizada como um dos principais elementos para codificar pensamentos e experiência. Engramada por meio de conceito de forma distribuida, fragmentada e difusa em diferentes celulas do cerebro a palavra serve de interface na comunicaçao entre o emissor e o receptor com o objetivo de interagir socialmente, o sentido da mensagem é construido pelo receptor com base no seu conhecimento prévio e nos dados que o emissor coloca no texto escrito.
Posto isso, a compreensao leitora é um ato de construçao de significado em que os dados linguisticos contribuem para intuir e construir uma imagem visual do resultado. Momento em que, a utilizaçao de tecnicas um maior controle sobre a estrutura da lingua, experiência ampliadas e desenvolvimento conceitual aprimorado são aspectos favoraveis ao sucesso na compreensao leitora.
Nos processos cognitivos o ato de ler a mensagem escrita é uma atividade intelectual complexa feita por precessamento bottom-up e interativo, onde operaçoes de recodificaçao e decodificaçao, e por estrategias de leitura são caracteristicas dessa cogniçao. De forma integrada em distribuiçao paralela ocorre simultaneamente os processamentos descritos os quais definem os leitores em pouco fluentes, apressados ou maduros configuramdo à aprendizagem de cada um.
A compreensao do que acontece ao leitor , no ato da leitura, exige a seguinte definiçao quanto ao processo cognitivo. No processo bottom-up o leitor se consentra nos dados escritos que são as letras, palavras e frases, parte do simples para o complexo, onde o leitor utiliza a forma linear e indutiva das informaçoes visuais e linguisticos. No top-dowm ele numa abordagem não linear, fazendo uso intensivo e dedutivo dessas informaçoes não visuais. Já no precesso interativo , há uma interrelacao do processamento ascendentes com o descendente em que atraves do conhecimento previo e dados fornecidos pelo texto, o leitor consegue a compreensao na sua interaçao com a mensagem escrita.
Portanto esse paradigma focaliza a aprendizagem n cerebro humano com um processo que se estabelece pelo refoco nas sinapses neuronais produzido generalizaçao e abstracao, sem a necessidade de estocagem explicita, tal qual uma rede neuronal , artificial onde o nivel profundo arquiva a informaçao declarativa a qual é formada por conseitos que podem ser acessados, modificados mais tarde conforme a necessidade.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home