sábado, dezembro 23, 2006

Eurisvaldo

Como o ser humano aprende nas perspectivas:

EMPIRISTA= Para os empiristas o indivíduo não nasce com tendências ou informações à respeito da vida. Ele apresenta se como um papel em branco (tábua rasa) a espera passivamente de ser corrompido. As verdades aceitam só são aquelas comprovadas pelos sentidos e pela experiência. O conhecimento se dar de fora para dentro, envolvendo o sujeito com o meio. A relação do sujeito com o objeto, torna-o passivo na experiência, e não autor da sua construção.
RACIONALISTA = Segundo os autores do movimento racionalista, o sujeito nasce com algumas informações. O conhecimento é inato ao indivíduo, necessitando de oportunidades para a manifestação deste potencial. Naturalmente, o ser já nasce com a fonte do conhecimento. Além disso,o desenvolvimento cognitivo não acompanha o desenvolvimento biológico. A criança não aprende dependendo da sua idade, mas da sua capacidade em aprender.
INTERACIONISMO = A aprendizagem é o resultado da interação do indivíduo com o objeto. O conhecimento seria fruto da construção do ser com o meio do qual ele está inserido. Nesta situação o sujeito e o objeto se confundem, trocam influência e de posição. Não o objeto que transfere algo para o sujeito necessariamente, é o próprio indivíduo que absorve a informação por autonomia própria. É uma teoria linear.
CONEXIONISMO = É ma teoria horizontal e não linear. Com a superação das teorias das certezas matemáticas e o raiar do paradigma sistêmico, que consiste na mutabilidade, na auto-organização do ser natural, na interdependência e na interconexão da vida, o indivíduo aprende e desaprende constantemente. Não desaprende no sentido de esquecer o que aprendeu, mas no sentido de rever os conceitos já pré-formados. O conhecimento estaria submetido a uma perpétua transformação e construção, devido ao entrelaçamento e dependência das relações sujeito/objeto. O indivíduo está inserido numa visão de mundo ecológico e holístico que concebe o mundo como um todo integrado dependente, e não como uma coleção de partes dissociadas e independentes. O ser aprenderia o todo para compreender as partes, e não o posto o oposto, pois assim seria insuficiente para entender a verdade dos fenômenos.
O conexionismo seria um paradigma da pós-modernidade, que apresenta através da psicologia da Gestalt, física quântica e da ecologia a idéia da relação em rede. Com o título de Teia da vida, a proposta é de mudança de uma visão mecanicista, patriarcal e consumista para uma visão holística e ecológica, afirmando que o homem não está acima ou abaixo da natureza, mas inserido numa teia da vida, fazendo parte dela. Desta forma, através deste novo conceito, mais aberto, democrático e responsavelmente ecológico, o indivíduo aprenderia melhor e aproximaria da verdade com mais segurança para mudar e aprender, para aprender e mudar perpetuamente.

1 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Bom texto,mas acredito que ele deveria aprofundar mais em questões mais reais, ou seja do cotidiano.

6:37 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home